Avançar para o conteúdo

A rota galega das melhores arepas





    O executivo e o empresário que fazem sucesso com arepas

    Pablo Portabales



    Além de arepas, eles oferecem propostas de várias regiões da Venezuela que são grandes estranhos aqui. Temos cachapas, empanadas, patacn… No Natal preparamos pratos típicos para essas festas como hallaca ou pão de presunto, diz.

    Le Coq (Santiago)

    Arepa caprese de Le Coq (Santiago) PACO RODRIGUEZ

    Eles se orgulham de servir as melhores arepas de Santiago e os comentários de seus clientes nas diferentes plataformas apóiam isso. Assamo-los de momento seguindo a forma tradicional, explica Irene Zoco, proprietária deste espaço do Ensanche de Compostela que abriu portas em Março de 2017, apostando numa cozinha com um conceito diferente e de forte personalidade tendo o frango como elemento principal . Eles inventaram seus arepa caprese inspirada na típica salada italiana com o mesmo nome e a pensar no público vegetariano, mas com o tempo tornou-se obrigatório. Tem queijo fresco artesanal trançado, tomate fresco cortado e um pesto caseiro de grande sucesso.

    Não faltam outras ementas mais clássicas, como as de frango ou carne desfiada, ou de porco. Têm na sua carta outras especialidades também de origem latina, como a hallaca, ou outras propostas mais internacionais como os cubos de frango crocantes à americana. Se você fizer seu pedido pelo aplicativo ou pelo site, receberá um desconto direto de 10%.

    Gália (Lugo)

    Ropa vieja arepas do restaurante Galo (Lugo). Alberto Lopes

    O hit deste negócio de corte informal e estilo industrial são os seus roupas velhas arepas. Como os incluíram na carta, a demanda foi tanta que tiveram que mudar a forma de preparo e trocar o ferro pela fritadeira. A sua aparência é a mais original, com um buraco no centro como um donut, algo que eles decidiram fazer para acelerar um pouco mais os tempos de configuração. A princípio fizemos mais algumas versões, mas esta fez tanto sucesso que continuamos com ela. Os serviços são muito caros e decidimos fazê-los fritos. Além disso, a crocância é incrível para eles, explica Ángel Fernández-Marzán, que, junto com seu sogro, Marcos García, abriu as portas deste negócio especializado em frango em abril deste ano.

    Dentro dele tem um mistura de carnes de jarreteira e paleta de vitela galega supremo certificado que cozinham acompanhados de cenoura, cebola, alho-poró, pimenta-do-reino, orégano e sal por duas ou três horas. A partir do momento em que ferve, cozinhamos em fogo baixo para que a carne não sofra. Aí a gente tira e desfaz, diz ele. Para dar mais sabor, passam por um daqueles refogados bem concentrados feitos com alho, cebola, tomate natural e o caldo de carne. Finalizam com queijo amarelo ralado na hora e servem acompanhado de guasacaca, um molho feito com alho, maionese, pimento verde, abacate e natas, que proporciona uma frescura sublime. Impossível tirar do cardápio, é um sucesso total, diz.

    Gastrobar de Arepa (Pontevedra)

    Arepa Tovarea do Gastrobar de Arepa (Pontevedra). RAMÃO LEIRO

    César Augusto Alarcón deixou a Venezuela por obrigação e depois de passar por Madri, acabou há três anos em uma Pontevedra da qual nunca tinha ouvido falar e onde abriu sua arepera gourmet enquanto combinava seus estudos para validar o diploma de direito que tirou em seu país. . Para saborear suas arepas é preciso ter um pouco de paciência, pois cada uma é feita na hora, mas a espera vale a pena. Se quiser redondo, chega em dois minutos e meio, mas se quiser um toque crocante, precisa de um pouco mais, cerca de quatro, diz ele.

    Oferece arepas clássicas, mas também outras combinações de ingredientes próprios que batizou com nomes que homenageiam diferentes lugares da Venezuela. É o caso do Tovarea, em homenagem à sua cidade natal, Tovar. preenche-o com carne de dois saborosos guisados, um de falta de vitela e outro de frango, e termina com um queijo que se faz na Galiza seguindo a receita venezuelana. Nós tovareos somos pessoas inquietas, que não ficam paradas. Nós somos misturados. Daí o nome da arepa, diz ele. A força do seu sabor reside num guisado por onde passa a carne depois de cozida e desfiada. Tem pimenta, cebola, aipo, alho… mas sem tomate. A carne é misturada ali por cerca de 40 minutos até ficar bem suculenta, explica. Tanto para fazer este como para qualquer outro do cardápio, ele vai diariamente ao mercado buscar os ingredientes necessários para fazer os recheios. La Tovarea é uma das preferidas dos clientes, mas é seguida de perto por outras como La Andina (ovo, queijo e abacate), Llanera (porco frito, queijo, tomate e abacate) e Gran Sabana (queijo e banana madura). frito).

    Arquivado em: Gastronomia Cidade de A Corua Cidade de Vigo Cidade de Ourense Venezuela